Por Mario La Gatto - 27/05/2012 - 23:59

Pontos que fazem falta

Chori Domínguez

Há pouco mais de 2 meses esta coluna fez menção aos pontos que ian “ficando pelo caminho”. Naquele momento, ainda faltavam muitos partidas para o final do Nacional B e River tinha chances de se recuperar. Mas o tempo passou, e River continua num sobe-e-desce angustiante para o torcedor, que vê a chance de título cada vez mais longe.

 

Péssimo negócio para River foi o empate desta tarde contra Central, que deixou a equipe de Rosario 1 ponto mais perto do título, e River 2 pontos mais longe. Pontos perdidos que fazem cada vez mais falta, à medida que o campeonato chega ao fim e não restam muitos jogos para recuperar a ponta.

 

Central, cujo maior mérito é marca e disciplina, veio com esquema previsível: 2 linhas de quatro para congestionar a entrada da área, e 2 homens abertos pelas laterais para ganhar as costas dos zagueiros de El Millo. Para ganhar o meio-campo, principalmente no PT os Canallas abusaram das faltas, muitas delas violentas e ignoradas pelo juiz Delfino. River fez um grande gasto, mas não conseguiu pôr a bola no chão para armar as jogadas, e entrou na correria proposta por Central. Isto beneficiou o time rosarino, que preferiu a “ligação direta” com longas bolas aéreas para seus atacantes.

 

Uma equipe mal treinada. A quantidade de passes errados dos homens de River é exasperante. É por isso que todos precisam correr muito: quando a bola vai parar nos pés do adversário, é preciso correr o dobro para recuperá-la. Passe errado é sinônimo de bola perdida e provável contra-ataque – foi o que aconteceu hoje.

 

Não há jogadas ensaiadas. Nos escanteios e nas faltas, a única opção parece ser lançar na área para Cavenaghi ou Trezeguet. Não há jogadas de triangulação, para confundir os zagueiros, ou para facilitar o chute de quem vem de frente pro gol. Não há bolas lançadas nas “clareiras” atrás dos laterais - nem todos os passes têm que ser “no pé”. Hoje, principalmente no ST, River conseguiu fazer pressão e vários escanteios a favor, mas a custa de correr muito, desordenadamente, sem clareza ofensiva.

 

Uma equipe mal montada. Almeyda armou hoje um 3-4-1-2 que não podia funcionar. Contra adversários fechados é preciso abrir o jogo pelas laterais. Maestrico não consegui desenvolver pela esquerda, e ainda saiu machucado no PT. Na direita Chori lutou muito, mas essa não é sua função, e ainda esteve bem marcado. Chori é mais útil – imprescindível até – como meia de ligação para abastecer os atacantes. River hoje sentiu sua ausência nessa função. A prova: a bola quase não chegou nos atacantes, e não conseguimos abrir o marcador.

 

Com o congestionamento na área de Central, hoje não era jogo para 2 cabeças de área. Mais útil teria sido um atacante veloz com ofício para jogar pelas laterais. Cavenaghi ou Trezeguet, muito estáticos hoje, deviam ter ficado como opção no banco. E pelo menos um dos que andam pelo carril esquerdo tem que ser canhoto. É muito difícil para um destro concluir bem uma jogada de linha de fundo pela esquerda.

 

Faltam agora três rodadas. Fica claro que, se não quiser ver complicado seu ascenso direto, La Banda não pode perder mais pontos.

Últimos videos

Último Partido
River Plate vs. Belgrano de Córdoba
Torneo de Transición 2014
12/10/2014
Encuesta
¿Qué porcentaje de la clasificación creés que se aseguró River con el 3-1 en Asunción?
Ver todas las encuestas